Mundo Geek

Yasuo, o “imperdoável” e o sentimento de culpa League of Legends

Yasuo - sentimento de culpa

[Narrador] Até hoje, Yasuo continua a vagar por aí e seu sentimento de culpa é a única coisa que freia a força do vento.

League of legends, ou LOL,  pode ser considerado um dos jogos mais importantes de todos os tempos. Um dos grandes responsáveis pelo crescimento dos e-sports, sendo a 10 anos, um dos games mais jogados no mundo.

Além desse sucesso inquestionável, LOL também amplia sua importância, criando um vasto universo, interligando a história de vários campeões. Sendo a história a ser analisada hoje de “Yasuo, o imperdoável”.

A análise é feita a partir da história de Yasuo publicada no site oficial de League of Legends e o sentimento de culpa. A história completa você pode conferir na integra clicando aqui.

A história de Yasuo

Desde seu nascimento, Yasuo se sentiu rejeitado por todos na vila, por ser filho de uma mãe viúva. A forma que seu nascimento era tratada como no melhor dos casos, um erro de juízo; no pior, ele era um erro que jamais seria desfeito.

Por não ser prestigiado em sua vila, Yasuo nunca teve a oportunidade de ser treinado pelos espadachins da vila, diferente de seu irmão, Yomi, que obteve tal privilégio por ser uma pessoa virtuosa (oposto de Yasuo). Mas de tanto Yasuo insistir, esperando por recorrentes dias em frente ao dojo, os mestres decidiram confiá-lo a oportunidade de ser treinado.

Durante os treinos, Yasuo mostrou um talento natural para o combate, chamando a atenção do ancião Souma, o ultimo manipulador do vento. O ancião, desejou treinar Yasuo, que muito arrogante, não queria ser pupilo de alguém específico.

Até que Yomi, convenceu seu irmão a ser mais humilde e aceitar a oportunidade de ser treinado pelo ancião, se tornando então aprendiz e guarda costas de Souma. Até que um dia, surgiu o boato que uma invasão dos Noxianos estava por vir, e os guerreiros, estavam organizando sua patrulha de ataque.

O iminente desastre

Yasuo desejava estar na linha de frente, para mostrar todo o seu poder adquirido em seus treinos, porém, foi designado a ficar na guarda, protegendo os anciões. Ao iniciar o conflito, Yasuo descumpriu a ordem, e decidiu ir ao ataque para participar da guerra.

Ao chegar no campo de batalha, não havia mais conflito, somente incontáveis corpos espalhados de aliados espalhados pelos campo. Voltando ao dojo no dia seguinte, foi jurado de morte por todos os outros aprendizes, uma vez que os anciões também foram encontrados mortos. Além de acusado de desertor, foi acusado por assassinato.

Tais acusações o fizeram fugir de sua vila, e procurar por respostas sobre o assassinato por conta própria. Porém, os guerreiros da vila faziam patrulhas em busca de Yasuo, que se defendia dos ataques. Em uma das patrulhas, seu principal medo, Yomi era quem o perseguia.

O imperdoável

Em uma luta mortal, Yasuo derrota seu irmão, que em seu leito de morte afirma, que haviam resquícios de alquimia de vento perto dos corpos dos anciões, só podendo ser o seu irmão. Yomi, não acredita na palavra de Yasuo, e não o perdoa pelos eventos acontecidos.

A partir desse momento, por mais que não tenha cometido tais crimes como acusado, Yasuo sente a culpa pelos eventos, sendo entitulado como “o imperdoável”. Hoje, Yasuo vive pelo sentimento de vingança, a procura de quem fez o ataque, e o ressentimento, ao se sentir culpado pela sequência de eventos traumáticos, para a vila, e para si próprio.

O que é ser imperdoável?

Buscar por perdão, implica não somente o fato de assumir o próprio erro, mas também, que a busca da auto redenção, poderia fazer com que a pessoa se sinta novamente a vontade com o que ela é. O seu único erro, não deveria ter o peso de uma vida toda.

Por isso, o imperdoável é aquele que não somente não conquistou o perdão dos outros, como também, não se perdoou pelo ocorrido. Mesmo que Yasuo não tenha sido o causador de todo o desastre, ele se considera como tal.

Se tratar como imperdoável, recorre a forma em que Yasuo sempre foi tratado, como um erro em seu nascimento, o irmão disfuncional, perto do irmão perfeito. Desde o início de sua vida, Yasuo sempre foi tratado como imperdoável, o incidente, apenas o relembrou de suas crenças.

Crenças tão fortes, que o fez optar pela fuga, ao invés de provar a sua verdade. Convenhamos que sua atitude de fugir, e confrontar a todos que o persegue, mais o aproxima de um comportamento culposo do que inocente.

Para uma pessoa que carrega um histórico de tanta exclusão, e de crenças construídas a respeito de todo o seu desvalor, fugir se apresenta como uma opção mais plausível do que enfrentar a acusação de frente.

Seu desvalor, inclusive, o impediu de enxergar a situação com os olhos da realidade. Yasuo é realmente o culpado, ou responsável pela situação?

Culpa ou responsabilidade?

A palavra culpa, tem uma conotação jurídica, sobre intencionalmente, fazer algo malicioso e danoso ao próximo. Ela também implica, que não existe uma nova situação a partir disso, dali em diante, terá somente a punição e o estigma de ser tratado como um culpado, condenado.

Porém, Yasuo não abandonou o seu posto, com a intenção de que todos morressem, muito pelo contrário. Ele gostaria de ir para o campo de batalha, para colaborar com seus aliados. Afinal, esperava-se que com seu talento em combates, menos aliados seriam mortos, por conta de seu auxílio no embate.

Pode-se dizer que Yasuo tem responsabilidade pelo o que ocorreu, uma vez que descumpriu com as ordens que lhe foram demandada. Ele não estava nem no campo de batalha, nem na guarda dos anciões. Mas isso torna ele o culpado?

Se auto atribuir a culpa, ou responsabilidades, também trazem consequências psíquicas em três pilares. A forma que se enxerga o mundo, as pessoas e a si próprio.

Distorção cognitiva – Personalização

As distorções cognitivas ocorrem a partir do pensamento automático, que é o primeiro pensamento que surge em nossa mente, quando algum evento ocorre. Este pensamento surge tão rápido, que comumente fica registrado apenas o sentimento relacionado ao pensamento, e não ele de fato.

Situação -> Pensamento automático -> Emoção-> Comportamento

Já estes pensamentos ocorrem dessa maneira, porque carregamos uma bagagem histórica que reafirma as nossas crenças construídas sobre algum evento ocorrido. No caso de Yasuo, devido a ser sempre tratado como um erro e também ao incidente no passado, é relacionado a personalização.

Recebe este nome de personalização, devido ao aspecto de trazer a culpa do evento para si, ignorando outros fatores que possam também ter colaborado para o ocorrido, por isso, a culpa está toda em uma persona.

“A morte é como o vento, está sempre ao meu lado”

As frases soltas mostram como Yasuo ainda carrega todo o peso dos eventos no passado, inclusive remetendo até a alcoolismo, para suportar a tristeza de suas decisões.

Podemos especular que Yasuo, em situações que ative seus gatilhos, age da seguinte maneira.

Situação remetente ao passado -> Eu não sou digno ou confiável/ Isso só aconteceu por minha culpa -> Tristeza -> Hábitos alcoólatras ou de fuga.

A partir disso, como a terapia poderia de fato ajudar Yasuo a superar tal sentimento?

Validação, educando sobre culpa ou responsabilidade

Para qualquer distorção cognitiva, vale refletir se de fato, a afirmação é verdadeira ou tem alguma verdade (validação).

No caso de Yasuo, a personalização é parcialmente verdadeira. Enquanto a situação de seu mestre, ele não teve culpa, e sim responsabilidade. Por não saber lidar com este problema, chegou a um embate mortal com seu irmão, o assassinando, tendo então de fato, um fator culposo.

Por isso, é valido pontuar que o fator culposo, surgiu por não ter conseguido lidar da melhor maneira quando se era apenas fato de responsabilidade. Por isso, trabalhar sobre a responsabilidade, se torna mais importante que validar o sentimento de culpa, uma vez que é onde de fato originou toda a situação.

Empoderar a pessoa sobre responsabilidade, pode abrir a ela um campo de novas possibilidades e atitudes, para que então, novos rumos sejam tomados. Abaixo, algumas diferenças entre culpa e responsabilidade.

Culpa-x-Responsabilidade
Fonte: https://psicoter.com.br/sentimento-de-culpa-psicoter/

Solução e Aceitação

Outro ponto é a avaliação da solução. É possível encontrar uma solução para o problema? Não, uma vez que quem já está morto, não voltará. O único trabalho possível com isso, é o de aceitar a situação atual.

Não aceitar os fatos, torna a pessoa preso ao passado, buscando soluções mirabolantes ou vivendo de maneira resignada. Yasuo contempla as duas vertentes, por viver em torno de uma vingança, de quem de fato fez isso, como também por não conseguir seguir em frente com sua vida.

Aceitar é compreender que existem lutas que não existem mais reviravoltas. Mas a partir disso, também é possível que Yasuo se reciclasse e encontrasse novos valores em sua vida, e com isso, novas perspectivas para alcançar a felicidade. Na forma que vive hoje, nunca encontrará felicidade e paz de espírito.

Gostou de nosso artigo? Gostaria de mais análises de personagens de LOL? Deixe nos comentários, e caso tenha se identificado com este sentimento de culpa, lembre-se que a PAJÉ está a sua disposição para agendamento de sessões de psicoterapia!

Giovani Lucena CRP-04/55806

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *