Mundo Geek

The sims e o isolamento social: Interagir também é uma necessidade!

the sims e isolamento social

O jogo simulador de vida The Sims, muito popular nos anos 2000, nos coloca na pele de um Sim, um personagem de nossa criação. Neste jogo, em que não tem um objetivo específico, nos deparamos com a simplória mecânica de necessidades básicas.

Temos como as necessidades do personagem a serem cumpridas a fome, conforto, comodo, energia, higiene, diversão, ambiente e social. Quando alguma das necessidades não é atendida, o Sim não se sente inspirado para trabalhar, treinar, consequentemente, não obtém promoções ou maiores benefícios em seu trabalho.

Com a necessidade social não é diferente. Por mais que as demais necessidades estejam atendidas, sem o cuidado social, de interações com outros jogadores, o Sims ficará indisposto. Com o afastamento social também temos sentido na pele, como a nossa inspiração geral tem se tornado fragilizada.

É comum neste período, encontrar relatos sobre ócio, ou até mesmo de artistas, o “bloqueio criativo” surgindo com maior constância. A pirâmide de Maslow, teoria utilizada para explicar as nossas necessidades fisiológicas, também podem nos explicar onde estamos estagnados. Maslow explica que, a motivação de uma pessoa alcançará sua plenitude quando suas necessidades forem atendidas.

Piramide de Maslow
Piramide de Maslow

Pode se observar que a base de nossa Pirâmide diz respeito aos itens fundamentais a nossa sobrevivência. Sem dormir, comer, beber, levaríamos o corpo ao limite e estaríamos fadado a morte.

Sem uma casa para viver, e sem a confiança de se estar seguro naquele lugar, viveríamos constantemente estressados, por acionar o nosso instinto de luta ou fuga. Cumprir este requisito é fundamental para que sejamos capazes de viver em homeostase, ou seja, manterem seu meio interno em certa estabilidade.

Até este ponto, tanto nós como os Sims, somos atendidos, porém, o que acontece no momento em que nossas necessidades sociais são limitadas? A nossa carência, insegurança e paranoia são intensificadas devido o afastamento. Temos como um exemplo desta conduta os Hikikomori, japoneses que voluntariamente, se isolam da sociedade.

Se tem como perspectivas que estes jovens japoneses, ao rejeitar relações sociais, também deixam de progredir em sua escalada de novas camadas na pirâmide, os tornando distante de desenvolver sua estima e realizações pessoais. Afinal, não há motivos para se ter ambas características, se não encontra valor em manter relações sociais e com o meio.

Podemos dizer que hoje de maneira arbritária, também sofremos com este reflexo. Quanto mais isolados, mais a nossa necessidade social é suprimida, e por consequência, mais distante nos tornamos de desenvolvermos nossa auto estima, e por consequência explorarmos nossos talentos criatividade, onde de fato, possa surgir o considerado “bloqueio criativo”.

Estes e outros assuntos relacionados ao isolamento social foi aprofundado no podcast que fizemos com a Otageek! Caso tenha interesse em ouvir nossa contribuição a discussão clique aqui e escute o nosso bate papo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *