Mundo Geek

C-Vírus? Resident Evil, ceticismo a dados e prevenção a pandemias.

residente evil lições de sobrevivência

Estamos em um momento de alerta mundial. O corona virus é uma realidade e seus números já diagnosticam, que não há mais espaços para contestações. De acordo com os dados atualizados, O corona já atingiu mais de 200 mil pessoas no mundo, gerando mais de 8 mil mortes no mundo. (artigo escrito em 17/03) https://www.bing.com/covid

Esse número talvez não lhe surpreenda, afinal, 8 mil mortes acontecem de outras formas, por acidente, crimes, outras doenças, etc. Mas a consideração a se tomar é o crescimento do vírus. As estatísticas entre uma semana a outra, tem tido uma enorme crescente em sua contração e propagação do vírus.

Meio a este cenário, ainda se existe o ceticismo sobre os dados apresentados por órgãos sérios como a OMS (organização mundial de saúde) e também relatórios nacionais, apresentando a iminente crescente deste vírus. Muitas pessoas acreditam em conspiração, relativiza os danos, e sugerem mudanças caso aconteça algo de pior.

É por conta dessa ótica, anti-preventiva, que o vírus se propaga cada vez mais. Exemplo que podemos observar em Resident Evil, ou Biohazard (“perigo biológico”) nome da série no Japão. Neste artigo, abordaremos a história de Resident Evil, pela perspectiva de pandemia, posteriormente, instruções de prevenção de acordo com mecânicas do próprio jogo. A analogia com o que está acontecendo hoje, fica por sua conta!

A Mansão infestada

O primeiro jogo conta as ações de Chris Redfield e Jill Valentine para sobreviverem a uma investigação que foram solicitados a realizarem. Ambos são agentes da S.T.A.R.S, que seria a equipe de operações especiais e resgate.

Eles foram enviados, pois a primeira equipe de resgate, não retornou da missão. A diretriz da missão, é que esta mansão isolada na fazenda, estava tendo denuncias de casos de canibalismo.

Com o desdobramento do jogo, descobrimos que na verdade se trata de um vírus desenvolvido por uma empresa farmacêutica (Umbrella Corporation) que infectava tanto animais quanto humanos. Os experimentos saiu do controle, e o vírus tomou proporções além das primeiras cobaias.

Ao final do jogo, Chris e Jill conseguem explodir e fugir da mansão, indo imediatamente para a delegacia, para fazer o relatório para o chefe do departamento de polícia de Raccoon City.

Desdenha dos colegas de trabalho

 

Ao chegar na delegacia e conversar com o chefe Brian Irons, pouco foi levado em consideração as mortes dos colegas, o estado psicológico de Chris e Jill, os diários e relatórios encontrados na mansão. Como a mansão foi destruída, o diretor desconsiderou tais evidências, dizendo que isso não teria como ser verdade.

Por tratar dessa forma, Irons arquivou este processo, enfurecendo Chris e Jill. que resolveram abandonar a S.T.A.R.S e investigar por conta própria a propagação deste vírus.

Em sua investigação particular, Chris encontrou novas evidências de que novos vírus surgirão a partir do T-Virus, e enviou seu relatório para o escritório, sendo novamente, rejeitado. Em Resident Evil 2, encontramos tais relatórios. Também descobrimos por tais relatórios, que Irons, recebia propina para omitir acusações que poderiam chegar a Umbrella.

Chris também aponta que aparentemente, as pessoas preferem não denunciar a Umbrella por todos os seus abusos, uma vez que ela empregava grande parte dos moradores da cidade.

Ceticismo pelas autoridades

resident evil ceticismo

Diário de Chris

8 de Agosto
Eu falei de novo com o chefe hoje, mas ele se recusa a me ouvir. Eu tenho certeza de que a Umbrella conduziu a pesquisa do T-Virus naquela mansão. Qualquer um que se contamina vira zumbi.
Mas a mansão inteira explodiu, junto com qualquer evidência culposa. Como a Umbrella emprega muita gente na cidade, ninguém quer falar sobre o incidente. Parece que estamos ficando sem escolha.

17 de Agosto
Estamos recebendo vários avisos de criaturas estranhas aparecendo em locais diferentes pela cidade. Deve ser coisa da Umbrella.

24 de Agosto
Com a ajuda de Jill e Barry, eu finalmente obtive informação sobre este caso. A Umbrella começou a pesquisa do novo G-Virus, uma variação do original T-Virus. Eles já não fizeram estragos o bastante?
Conversamos seriamente sobre o assunto e decidimos ir para a sede principal da Umbrella, na Europa. Não vou contar para minha irmã sobre esta viagem, pois, se fizer isso, poderei colocá-la em perigo.
Por favor, me perdoe, Claire.

Correspondência para Chris

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL
– RELATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO INTERNA

Sr. Chris Redfield
Dep. de Polícia de Raccoon
Divisão S.T.A.R.S.

Atendendo a seu pedido, conduzimos nossa investigação interna e descobrimos as seguintes informações:
1) Em relação ao G-Virus, atualmente em desenvolvimento pela Umbrella Inc.
Até agora, não é confirmado que o G-Virus sequer exista. Estamos continuando com a investigação.
2) Em relação ao Sr. Brian Irons, chefe do Dep. de Polícia de Raccoon
O Sr. Irons vem recebendo uma grande soma de fundos de suborno da Umbrella Inc. durante os últimos cinco anos. Aparentemente, ele estava envolvido no cobertura do caso do laboratório na mansão, assim como em outros incidentes em que a Umbrella parece ter envolvimento direto.
O Sr. Irons foi preso sob duas acusações de suspeita de estupro, durante seus anos de estudante universitário. Foi submetido a avaliação psiquiátrica, por resultado de sua pena, mas foi solto, devido a evidências circunstâncias, assim como por seu fenomenal desempenho acadêmico.
Como tal, extremo cuidado é recomendado ao lidar com ele.

Jack Hamilton
Chefe da seção de Investigações Internas
Departamento de Polícia Federal dos Estados Unidos

A caminho da pandemia

Com a desinformação instaurada e omissão dos fatos, os eventos que aconteciam na fazenda começaram a acontecer também na cidade. Devido ao mal armazenamento das cobaias mortas nos testes da Umbrella, o vírus começou a se espalhar para o sistema de esgoto da cidade. Dessa forma, contaminou-se ratos e insetos no esgoto, assim como a água e o ar da cidade.

A partir disso, os hospitais de Raccoon City começaram a ficar sobrecarregados, com os próprios médicos, sendo infectados, pelo contato com os pacientes, como podemos ver em mais um arquivo de Resident Evil 2.

Diário do Diretor

10 de Setembro
Estes pacientes sofrem a princípio de gangrena e congestão do sangue. Por isso suas mentes se deterioram lentamente. No fim, não há mais nada em suas mentes. Quando isto acontece, até a morte por misericórdia parece sem sentido. Afinal, eles já estão mortos… Esta doença é diferente de tudo que já testemunhei. Assim que a mente se vai, eles se transformam em monstros famintos por carne e agem como animais selvagens com um desejo ardente por sangue.

18 de Setembro
Outro paciente foi trazido para o hospital. Ele está mostrando sintomas dos primeiros estágios da doença, mas… Eu não consegui dormir ainda nestes últimos dias. Eu me recuso a deixar estes pacientes se tornarem “zumbis”. Eu não sou um civil qualquer. Eu sou um médico. Mesmo se eu morrer, meus quadros clínicos contribuirão para a descoberta de uma cura.

26 de Setembro
Perdemos a maioria dos médicos e da equipe durante a batalha contra os pacientes “zumbis”. É impossível manter o hospital nestas condições. E eu sei que tarde demais para mim. Estou começando a sentir a mesma coceira e a mesma fome que todos os pacientes sentiam. É tarde demais para mim…

Choque de realidade

A princípio, uma hipótese de epidemia gera uma desconfiança inicial, pois se trata de uma ameaça não vista a olhos nus. Porém, o primeiro grande erro é encarar a situação com ceticismo, negando ou justificando que não é tão sério assim, relativizando a ponto de preferir seguir a própria rotina sem ajustes.

Negar o problema, somente o fará crescer em instâncias incontroláveis, e talvez, se torne tarde demais para se arrepender das imprudências cometidas por ser cético com a propagação do vírus.

Hospitais superlotados, isolamento, infecção crescente por contato com outras pessoas/animais e talvez por questões de saneamento básico. Todas estas questões causadas porque temos o receio de bater o pé e defender o nosso direito a saúde. Afinal, estamos falando do jogo, ou da nossa realidade?

Aproveitando o contexto do artigo, traremos digas preventivas, baseadas também na lógica de Resident Evil!

1- Valorize sua “Safe Room”

Valorize sua safe room
Valorize sua safe room

Se o seu serviço permitir que você trabalhe a distância, opte por isso nesse momento. A safe room, na franquia Resident Evil, é a única sala segura de infectados, em que você pode gerenciar e fazer combinações de seus itens com calma e salvar o progresso de seu jogo.

Durante os jogos, encontrar esta sala, é se aliviar de toda a tensão que o jogo carrega. Assim como poderá ser com o seu próprio espaço! Nada mais seguro que sua própria casa, que você controla quem o visita e estabelece todos os hábitos higiênicos necessários.

Talvez o seu serviço não lhe permita este benefício do trabalho a distância, mas negocie com seu chefe para entrar no trabalho em horários mais flexíveis, evitando grandes aglomerações. Ainda assim, evite encontros, casas culturais ou de lazer e valorize estar em seu ambiente seguro. A próxima dica, é para quem não tem o luxo de ficar somente em casa.

2- Utilize rotas menos populosas

Rotas Resident Evil
Rotas Resident Evil

Resident Evil não é um jogo de ação, e sim de sobrevivência. Nele, você pode optar por alto risco, tentando enfrentar vários zumbies, porém, terá uma baixa recompensa, e terá o prejuízo de gastar a escassa munição e também de se ferir nos confrontos.

O mais inteligente é a compreensão das rotas menos populosas ou vazias. Talvez você dê uma volta maior para chegar no destino de desejo, mas, neste momento, se torne mais seguro e prudente.

Vale considerar também a sua forma de deslocamento. Vale a pena transporte público, como ônibus ou metro em tempos como esse? Avalie a distância, se é possível carona, deslocamento a pé ou até mesmo bicicleta, para evitar as grandes aglomerações.

3- Saiba o que carregar em sua mochila

residente evil slots

 

Resident Evil é marcado pelo desafio em administrar o que se deve levar na mochila, uma vez que a poucos espaços para ocupar. Sem dúvida, dois itens necessários básicos é o álcool em gel e uma máscara, que evita o contato com a saliva de estranhos.

Salientamos que o álcool em gel deve ser utilizado não somente nas mãos, como também no antebraço, que normalmente estão descobertos e também podem ser atingidos pelo vírus.

Por se tratar de uma propagação contaminosa, pode-se pensar também em luvas, para se precaver de maçanetas ou corrimãos infectados. Caso opte por outros itens, recomendamos sempre lavar as mãos ao chegar em algum local que se possa fazer a higienização. Lembre-se também de higienizar o seu próprio celular!

Atente-se também que a máscara, deve ser utilizada em caso de apresentar o sintoma de tosse! A máscara utilizada sem esse fim, trará irritabilidade para o rosto, aumentando seu contato de coceira no rosto, fato a ser evitado.

4- Os recursos são escassos, valorize-os!

residente evil recursos escassos

No jogo, as munições e itens de cura são raros, sendo necessário saber o momento certo de utiliza-los da maneira apropriada. Este também é um cuidado necessário com o uso do álcool em gel! As farmácias já estão acusando a escassez desse produto e com isso, o aumento do preço do mesmo.

Não se apavore! Em ambientes que se tiver acesso a higiene tradicional (água e sabão) opte por este método. O álcool em gel, deve ser utilizado como “lavagem seca”, ou seja, quando tiver acesso somente a ele, sem a oportunidade de usar água e sabonete.

Dentro dessa lógica, saiba que, lavar as mãos com água e sabão e posteriormente, passar álcool em gel, é um desperdício, afinal, a higienização já havia sido feita. Seria como, na lógica do jogo, usar um kit médico inteiro (que cura toda a saúde) quando, sua energia ainda era razoavelmente segura, ou seja, desperdício de recursos.

5- Procure por ajuda somente quando estiver no “caution”

residente evil caution

Em Resident Evil, temos 3 status de energia. Fine (quando a saúde está boa) caution (quando está intermediária, requer alerta) e danger ( estado perigoso, de urgência). Não espere estar em risco para procurar por ajuda, mas conheça os sintomas reais, para não se deslocar a um posto de saúde, mesmo estando saudável.

Pessoas ansiosas, pelo medo da infecção podem ocupar as filas de saúde, apenas para constar que “não tem nada” e nessa ação, ocupar o espaço que de fato precisa de cuidados imediatos. Por isso, procure por ajuda quando apresentar os seguintes sintomas: Dificuldade de respirar, Coriza, Tosse, Dor de garganta e Febre.

Mas também não seja imprudente, de apresentar os sintomas e não procurar por orientação médica. Isso poderia agravar a situação, e talvez procurar por ajuda profissional, quando estiver em situação emergencial, seja tarde demais. Sua saúde estará ainda mais debilitada, e também poderá ter propagado o vírus para várias outras pessoas.

6- Os verdadeiros aliados, vão compreender a distância necessária

residente evil distância

Chris e Jill, são fiéis aliados, mesmo que compartilhem de poucos momentos juntos. Afinal, cada um está sempre investigando por conta própria alguma vertente. Estarem sempre juntos, nem sempre poderia ser a melhor opção, afinal, ambos poderiam cair em uma armadilha compartilhada.

A mesma relação também é estabelecida com os protagonistas Leon e Claire. Confiança acima de tudo, mesmo que tenham se visto apenas uma vez.

Neste momento, entenda que a distância com seus amigos, possa ser necessária, e que hoje temos recursos para desfrutar das relações a distância. Não se sinta traído se alguém negar sair com você nesse momento, afinal, a quarentena é para todos.

A mesma lógica pode ser usada novamente no trabalho. Algumas situações carecem de reunião ou debate, e o porque não utilizar dos recursos de vídeo chamada? Estar presente com o outro, diz muito além da presença física. Ser presente na vida do outro, é compartilhar carinho, confiança e respeito.

Terapia online como ação de prevenção

O próprio conselho federal de psicologia, recomenda que, em comum acordo entre psicólogo e paciente, optem por fazer as sessões online, via vídeo chamada, para que ambos se previnam de uma infecção, seja no trajeto para chegar na clínica, ou até mesmo na própria clínica.

E como vocês sabem, a Pajé é um portal de busca para o agendamento de sua sessão! Somos mais de 100 psicólogos, dispostos a lhe atender, neste momento, por via online.

Não deixe de se cuidar, seja do Corona Vírus, ou de sua saúde mental! Vivemos para ter uma vida de saúde, não abra mão desse seu direito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *