Mundo do estudante

Como fazer para que meu 2020 seja realmente novo?

Ano novo, hábito novo

A virada do ano é sempre recheada de uma enorme comoção, festas e principalmente, expectativas, de que um novo e melhor ano está por vir. Não há nada de errado nisso, em nutrir esperanças sobre o que está por vir, mas quais são nossas responsabilidades para que essa mudança ocorra?

Somos agentes ativos na mudança para um ano melhor, principalmente considerando o seu mundo interno. Podemos promover tanto ações que melhorem o nosso cotidiano como reavaliar à nossa forma de pensar sobre fatos ocorridos.

Reconhecer que não temos controle das ações dos outros, e sim, das nossas e do que pensamos a respeito do ocorrido, pode ser libertador. Mas neste artigo, abordaremos o que você pode começar a fazer HOJE para transformar a sua rotina, vamos nessa?

Ano novo, novos hábitos

Muito dos votos de esperança de um ano melhor, se diz na verdade sobre os pequenos incômodos relacionados a rotina.

Devido à intensa carga de trabalho ou estudo, onde por muitas vezes não se consegue determinar horários fixos para as obrigações, o dia passa a sensação de que ele está curto, e que 24 horas não é o suficiente.

Esta sensação nos desmotiva, gerando uma enorme falta de vontade para realizar novas atividades. Provavelmente com isso, com esse tempo mal organizado e indisposição, as práticas se resumem a coisas a seu alcance, como uso excessivo de celular, jogos e até mesmo, dormir em excesso, devido ao cansaço.

Porém, é possível reavaliar este processo, e encontrar novas formas de administrar seu tempo e realizar novas atividades! Para isso, é importante a construção de novos hábitos.

Estes hábitos podem ser a retomada de algum hobbie esquecido, aprimoramento em uma nova área, e até mesmo início de algum treino visando um novo objetivo. Em seguida, falaremos de 5 passos necessários para criar novos hábitos.

O ciclo do hábito

O ciclo do hábito (e até do vício) parte de um princípio simples: Rotina – recompensa – gatilho. A rotina, é a ação em si, a recompensa ajuda o cérebro a acreditar que a rotina vale a pena e o gatilho é aquilo que motiva o cérebro entrar no automático.

Pensando assim, quando se está passando por um dia estressante, um fumante vê o cigarro como gatilho, ele entra na rotina de fumar, e a sua recompensa foi desestressar. Para um hábito saudável, a mesma lógica funciona, porém, você deve responder ao seu cérebro  o porque aquilo vale a pena (recompensa).

1 – Sugestão

Se você deseja realizar uma nova atividade em sua rotina, é necessário responder a algumas perguntas: O que você precisa colocar na sua rotina? De que forma você vai fazer? E qual é o objetivo?

Uma sugestão por exemplo, pode ser uma pessoa com sobrepeso, que optou por caminhar por 1 hora durante o dia, porque ela sabe, que seguindo isso, daqui a um ano, ela terá como resultado novo a perda de peso.

2 – Desejo

O segundo item é uma extensão da sugestão. Uma vez que você se questiona sobre o objetivo, agora você deverá entender a motivação por trás da ação.

No caso do sobrepeso, o objetivo é a perda de peso, mas a motivação, pode ser para melhorar a sua saúde, ou por desejar ter um corpo mais em forma. Aprofundando a motivação, ela deseja ter mais saúde, para que a partir da caminhada, ela possa voltar a jogar futebol com um bom fôlego com seus amigos, ou então ter o corpo mais em forma para se sentir mais atraente, e melhorar o seu auto valor.

Se você reconheceu um forte desejo em alimentar estes desejos, você também será capaz de nutrir a disciplina necessária para a construção do novo hábito!

3 – Resposta

O terceiro passo diz respeito aos resultados obtidos após um tempo de prática do novo hábito. É necessário se perguntar algumas questões. O objetivo foi alcançado, ou pelo menos está próximo disso? Você ainda está em busca do seu desejo ou já o alcançou?

Considerando estas perguntas, você irá se perguntar: Vale ainda mais esforço físico para cumprir tal objetivo? Se você considerar que a resposta for negativa, então é o seu cérebro dizendo que é melhor abandonar o hábito, afinal, ele considera que a recompensa é muito pequena, frente ao que se deve fazer enquanto rotina.

Por isso se pergunte, o hábito que você propõe, você tem condições de realizá-lo? Não adiantar criar metas falaciosas a respeito sobre suas capacidades. Como, por exemplo, no caso da caminhada, talvez você tenha algum problema físico, que impeça que a alta performance seja alcançada.

4 – Recompensa

A recompensa nada mais é do que a consequência das etapas anteriores. Quando se sabe o objetivo, o desejo e as condições para realizar a tarefa, sem altas expectativas ou sabotagens, você recebe a recompensa pela prática.

Ao ser recompensado, de acordo com a teoria comportamental, aumenta-se a probabilidade de reproduzir o comportamento em questão. O ciclo do hábito se reinicia de maneira natural, uma vez que você compreende que todos os sacrifícios e mudanças feitas valem a pena, por alcançar os interesses da nova atividade.

5 – Escapando das armadilhas!

Neste ponto, fazemos algumas ressalvas para que não caia em algumas armadilhas que atrapalhem sua construção do novo hábito.

1 – Se force a máximo para praticar sua nova rotina pelo menos 3 semanas. Apesar das dificuldades, procure superar os problemas para que você crie uma disciplina necessária para compreender seus horários de seu novo exercício.

2 – Não se force a resultados imediatos. Ninguém começa expert em nenhuma atividade, em gastar longo tempo sem o devido preparo, pode mais lhe frustrar, do que realmente acelerar processo. Quer começar a estudar? Estude por 15 minutos na primeira semana, e aos poucos, evolua o seu tempo. A atividade é caminhada? Comece por 20, 30 minutos em caminhada, ao invés de tentar correr por uma hora, se levando ao extremo, e perdendo performance nas atividades seguintes.

3 – Cuidado com estímulos que lhe atrapalhem. Em um momento de dúvida, qualquer estímulo que nos leve ao conforto ou prazer fácil, se sobrepõe a atividade nova. Para isso, evite ter por perto estes objetos que lhe possam distrair de seu objetivo.

4 – Simplifique as atividades, não crie condições complexas para realizá-las. Muitas pessoas se desapegam do hábito por confrontar com situações que desde o inicio tornam a atividade distante, como uma academia muito longe de casa. No primeiro obstáculo, como estar sem carro por exemplo, tira a motivação de prosseguir com a atividade. Desde o início, faça atividades que sejam possíveis de se cumprir mesmo em situações adversas.

Gostou de nossas dicas? Então não deixe de colocar os passos em prática o quanto antes! Somente você é capaz de fazer algo de novo em sua rotina!

Giovani Lucena, CRP-04/55806.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *